Arquivo para abril \17\UTC 2008

17
abr
08

Mario Kart Remote!

Não, não é um novo jogo do bigodudo, mas sim um vídeo em que uns caras(presumidamente japoneses) pegam um carro de controle remoto, e colocam ele pra tocar a música do Mario batendo uma bolinha de metal em algumas garrafas.

Link para o Vídeo

Agora quero ver fazerem isso com uma música do Malmsteen, quem sabe essa?

Anúncios
14
abr
08

Que área de você pretende seguir?

Uma pergunta bastante interessante surgiu no GameDevBr: Que área de GameDev você pretende seguir?

Quem me conhece, sabe que eu sempre me interessei muito por Game Development, pois acho os jogos fantásticos, a oitava arte, e desenvolver outros jogos e encantar outras pessoas como esses me encantam até hoje, é um sonho para mim.

Creio, atualmente, que a área de programação em jogos é a mais adequada, considerando que eu já tenho uma pequena noção disso, e também gosto bastante de programação.

No entanto, eu também gosto da área de game design, character design(pra isso só falta aprender a desenhar, o que
está nas metas desse ano ainda), considerando que eu gostava bastante de mestrar RPG, e creio que não era um mestre tão ruim assim 🙂

Mas meu real sonho, é ficar milionário, e criar uma empresa de jogos, e fazer os maiores clássicos ever, com versão
para linux, claro. 😀

Obviamente que eu não sou nem um pouco ambicioso. Modesto também não.

Quem quiser dar a sua opinião, porque não postar lá no gamedevbr?

11
abr
08

Da série… Emprego dos Sonhos I – Blizzard

A série Emprego dos Sonhos vai mostrar várias empresas interessantíssimas para quem quer entrar no mercado de jogos, e claro, tem habilidade o suficiente pra  trabalhar em uma empresa de grande porte, e pra começar, uma das minhas favoritas, a Blizzard!

Só de imaginar já dá uma vontade tremenda, hein? Imagina trabalhar com a empresa que criou vários dos melhores jogos de todos os tempos, como Starcraft, Diablo, Warcraft? Ou então tomar parte de muitos outros clássicos que com certeza ela irá fazer? Esse sim é um Emprego dos Sonhos.

Pois saiba que a Blizzard tá sempre procurando por empregados, sejam eles artistas, programadores, Game, Level, Characters, Weapons Designers, e por aí vai(desde que ou morem nos EUA ou tenham visto de trabalho). Aqui você poderá obter todas as informações sobre como trabalhar lá, e também de todas as vagas livres, para este Emprego dos Sonhos!

09
abr
08

Indignação.

Maldito governo, que ao invés de arrumar mais o que fazer, inventa de proibir o Bully, o que já é a prova definitiva que realmente eles acham que a população brasileira tem 5 anos de idade, e a culpa também é nossa, porque deixamos na mão de um monte de velho capenga(que nunca jogaram nada na vida) decidir o que a gente pode ou não utilizar para se divertir.

Mas o pior de tudo, é bloquear o Wordpress.com, e provar que não estamos muito à frente da China em matéria de democracia. Alguém se lembrou do caso Youtube?

Ah, sim, se bloquearem o wordpress, talvez essa seja a última vez que nos falaremos por aqui. Quem sabe não migraremos para Blogger?

Shame on You, Governo.

Fontes: Rodrigo FlausinoGoLuck

08
abr
08

Review de PS3 [+Bônus]

Que gráficos, hein? 🙂

Bônus:

Versão portátil!

Tem também o PS1 ;x

E claro, o Vii!

05
abr
08

Review: Cave Story

FlightCave Story é um jogo totalmente freeware, com versões para Mac, Linux e Windows e de uma história, e de características extremamente peculiares. Primeiro, ele foi feito por somente uma pessoa, que com certeza, deveria ser no mínimo premiado com sei lá, uma limousine cheia de louraças. Segundo porque ele demorou 5 anos para ser feito! MINHANOSSASINHORA, 5 ANOS!? Pois é. Um exemplo de perseverança, esse tal de Daisuke Amaya, conhecido também como Pixel pelos cantos mais obscuros da Internerd.

Agora sobre o jogo, originalmente escrito em japonês e com o nome Doukutsu Momotagari, ele foi traduzido para inglês por alguma alma caridosa, o que fez com que o jogo se espalhasse bastante(em termos de jogos indie, claro), e atingisse gamers do mundo todo. Mas porque esse jogo fez “tanto sucesso”?

Cave Story é um pouco ao contrário do rumo que a maioria dos games costumam seguir, que são gráficos 3D, milhões de detalhes e requerimentos de hardware absurdos. O jogo é completamente 2D, com gráficos que sugerem algo entre o Nintendinho e o Super Nintendo. Mas não se engane, em se tratando de 2D, os cenários são bem detalhados, com sua devida sombra e perspectiva bem aplicada.

A história também é um ponto importante no jogo, e ela foi mutio bem trabalhada, apesar de parecer, à primeira vista, um pouco clichê. Não se tem uma introdução nem um prefácio sobre a história, caindo direto no jogo. Avançando um pouco (e sem saber quem raios é o personagem que se controla), chegamos ao Vilarejo Mimiga, e lá descobrimos que os Mimigas estão sendo raptados um a um pelo vilão-malvado-from-hell-que-come-criancinhas-no-café-da-manhã, com um objetivo desconhecido. Assim, à medida que o jogo avança, vão sendo descobertos as verdadeiras ambições do “Doctor“, a personalidade dos seus capangas, e principalmente, a indentidade do personagem principal.

A jogabilidade foi cuidadosamente bem trabalhada, os controles são precisos e os movimentos são muito bem trabalhados, e ao mesmo tempo nostálgicos, lembrando clássicos como Super Metroid. O som é perfeitamente ambientado, e todas as músicas são perfeitos clássicos da era MIDI, e com certeza, ficará na cabeça de muitos durante bastaaante tempo.

Esse conjunto perfeito de fatores só foi atrapalhado por 1 fator: não ter sido lançado na época certa. Com certeza, se tivesse sido lançado na época de ouro dos jogos 2D, estaria em todos os TOP clássicos de todos os tempos. É um jogo que quem não jogou, deveria jogar alguma vez, e quem jogou, pode(e deve) jogar de novo. Por todos esses fatores, esse jogo foi escolhido para ser a primeira das minhas Reviews aqui no Prev-Gen por ser a mostra principal do foco do blog, que é mostrar que o jogo não precisa de 3 placas em SLI pra poder rodar bem e ser divertido.

Site: http://www.miraigamer.net/cavestory/

Gráficos: 3
Jogabilidade: 5
Som: 4
Diversão: 4
Replay: 3

Nota Final: 3.7
A nota final é baseada em uma média ponderada desse 5 fatores, sendo composta: 15% para cada entre Gráficos, Jogabilidade e Som, 25% para Diversão, e 30% para Replay. Os valores das notas vão de 0 à 5, sendo 0 o pior e 5 o melhor.

05
abr
08

Inauguração, e todo o blá blá blá de sempre…

Olá amigos e amigas! Sejam bem-vindos ao Prev-Gen, mais um blog sobre jogos. Mas bom, não jogos no seu sentido internérdico atual: coisas caras que só rodam em equipamentos caros e que têm, por tabela, gráficos monstrosamente perfeitos, ou controles ótimos para arremessar na parede ou na sua tela de plasma(recém-comprada).

Não, aqui o nosso foco é diferente! Nesse blog a prioridade é, principalmente, jogos indie, ou então os populares “jogo pra GameCube? Quero não! Só tem 128 Bits!11!!!milcentoeonze!!”. Porque nós acreditamos que um jogo não precisa ser HDTV, HDMI, HDAlgumaCoisaAí nem ter uma resolução de 2¹²³x2³²¹ pixels para ser bom. Os objetivos principais desse blog serão mostrar aos leitores que existe muita coisa boa, e que seu Mega Drive, Playstation 1, Gamecube, ainda pode lhe render MUUUITAS horas de diversão.

O blog seguirá um estilo corporativo, ou seja, além dos meus posts, vocês poderão colaborar no nosso conteúdo, e até, quem sabe, virarem redatores oficiais do blog! Com isso, nós queremos fazer com que o conteúdo seja mais dinâmico e variado.

Bom, então declaro aqui aberto o Prev-Gen, e espero que as coisas fiquem muito melhores daqui para frente. Espero que todos vocês(atualmente 0, segundo o feedburner) se divirtam bastante com nosso conteúdo, com os jogos, com as matérias.

Até a próxima!

Cainã Costa